Wednesday, May 31, 2017

Queen-Anne’s-Lace - William Carlos Williams

       



Queen-Anne’s-Lace - William Carlos Williams


Her body is not so white as
anemony petals nor so smooth—nor
so remote a thing. It is a field
of the wild carrot taking
the field by force; the grass
does not raise above it.
Here is no question of whiteness,
white as can be, with a purple mole
at the center of each flower.
Each flower is a hand’s span
of her whiteness. Wherever
his hand has lain there is
a tiny purple blemish. Each part
is a blossom under his touch
to which the fibres of her being
stem one by one, each to its end,
until the whole field is a
white desire, empty, a single stem,
a cluster, flower by flower,
a pious wish to whiteness gone over—
or nothing.



Queen-Anne’s-Lace - William Carlos Williams - Tradução em Português


Seu corpo não é tão branco quanto
Pétalas de anemonia nem tão suave - nem
Tão remota. É um campo
Da cenoura selvagem
O campo pela força; a grama
Não aumenta acima dela.
Aqui não é questão de brancura,
Branco como pode ser, com uma toupeira roxa
No centro de cada flor.
Cada flor é um período de mão
De sua brancura. Onde quer que
A mão dele está lá.
Uma pequena mancha roxa. Cada parte
É uma flor sob seu toque
Para o qual as fibras de seu ser
Seguem um por um, cada um ao seu fim,
Até que todo o campo seja um
Desejo branco, vazio, um único caule,
Um conjunto, flor por flor,
Um desejo piedoso de brancura desapareceu -
ou nada.



Queen-Anne’s-Lace - William Carlos Williams - La traducción en español


Su cuerpo no es tan blanco como
Pétalos de anémona ni tan liso ni
Tan remota cosa. Es un campo
De la zanahoria silvestre
El campo por la fuerza; el césped
No se eleva por encima de ella.
Aquí no es cuestión de blancura,
Blanco como puede ser, con un lunar púrpura
En el centro de cada flor.
Cada flor es el palmo de una mano
De su blancura. Donde quiera
Su mano ha quedado allí hay
Una pequeña mancha púrpura. Cada parte
Es una flor bajo su toque
A la que las fibras de su ser
Tallo uno por uno, cada uno a su final,
Hasta que todo el campo sea un
Blanco deseo, vacío, un solo tallo,
Un racimo, flor por la flor,
Un piadoso deseo de que la blancura pasara-
o nada. 

Conteúdo completo disponível em:






Links:


Slippery Letra

Mask Off Letra

Slippery Letra

Bacias hidrográficas do estado de São Paulo

Prédios mais altos do mundo

O Alienista PDF

Just Go #JustGo - Viagem Volta ao Mundo

Atividades extrativistas do Mato Grosso do Sul

Idade das Religões - Religião História

Bíblia Online

Top 10 BLOGs by Sanderlei Silveira



The Dark - Ellen M.H. Gates - Poetry, Poem

Thou Art Not Lovelier Than Lilacs, - No - Edna St. Vincent Millay - Sonnet 18 - Poetry, Poem

Slippery - Migos - Letra Musica - Tradução em Português

Economia em 1 Minuto - Sanderlei

As festas populares em Santa Catarina SC

Áreas de preservação no estado de São Paulo SP

A Guerra do Contestado PR

Pantanal – Patrimônio Natural da Humanidade MS

Mein Kampf PDF

Palácio da Justiça do Amazonas - Centro Cultural, Museu - Manaus - Amazonas AM - Brasil


No comments:

Post a Comment